Translate

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Bispo Schneider: A Igreja já respondeu [infalivelmente] aos erros de Lutero

Por:  Claire Chretien, 31 de outubro de 2016
Tradução: Traditio Catholicae

___________________________________________________________________________
WASHINGTON, D.C., 31 de outubro de 2016 (LifeSiteNews) - A Igreja Católica já respondeu infalivelmente aos "erros de Martinho Lutero", disse o Bispo Atanásio Schneider sobre a celebração do Papa Francisco da Reforma, louvando a teologia de Lutero.

Durante uma extensa sessão de perguntas e respostas depois de uma palestra em Washington, DC, no início deste mês, Schneider também disse que o atual estado da política americana lembra-lhe "o tempo soviético no qual vivi"; expressou a esperança de que a Fraternidade Sacerdotal São Pio X seja canonicamente regularizada na Igreja Católica, e discutiu a repressão do Vaticano sobre os Frades Franciscanos da Imaculada.

"Já tivemos uma resposta infalível aos erros de Martinho Lutero: o Concílio de Trento", disse o bispo do Cazaquistão. "Os ensinamentos do Concílio de Trento sobre os erros de Lutero, repito, são infalíveis, 'ex cathedra'. E os comentários do papa no avião não são 'ex cathedra' ".

Schneider disse isso em resposta a uma pergunta sobre os comentários que o Papa Francisco fez em apoio à teologia de Martinho Lutero e à celebração do Papa da Reforma.

"Eu não estou morando neste país", então "talvez eu não possa lhe dar um bom conselho", disse ele a um jovem sobre a eleição presidencial dos EUA. "Mas”, disse, "na medida em que eu pude observar esta questão das eleições à distância, eu acho... às vezes, é preciso ter distância para observar. Vocês estão agora no meio da luta. ... Na minha, talvez limitada opinião, eu acho que isso é uma demonstração de que esta é uma situação semelhante a uma ditadura de um grupo que vai governar e que vai impor [a vocês] candidatos, ambos impossíveis, de alguma forma. Esta é a minha opinião, eu não sei se estou [correto]".

"Vocês são livres para pensar de outra maneira", disse ele aos americanos reunidos. "Esta é a minha humilde opinião". Schneider disse que o estado das eleições americanas lembra-lhe "o tempo soviético em que vivi" quando "sempre tínhamos os mesmos candidatos para escolher - mas nomes diferentes".

A prática do ‘diálogo’ deve ser ‘corrigida’


Grande parte do "diálogo" inter-religioso nos últimos 50 anos trouxe confusão em vez de fruto, disse Schneider. Esta confusão levou ao "enfraquecimento do nosso compromisso de pregar o Evangelho".

"Temos que corrigir isso", disse ele. "Não podemos continuar de maneira tão ambígua sob o pretexto do diálogo".

O verdadeiro diálogo leva as pessoas à verdade, disse ele.

"Deve-se falar um com o outro", disse Schneider. "Mas quando eu falo com uma pessoa que está em erro... quando eu tiver um amor verdadeiro, eu ajudarei a pessoa que está no erro a sair do erro. É claro que farei isso com respeito, com amor, mas com clareza”. Os católicos, disse ele, são chamados a "testemunhar sempre a verdade".

‘Minha recompensa é a boa consciência da fé, a fidelidade a Jesus e a recompensa que espero receber no Céu’

"Os leigos agora são chamados a testemunhar a sua fé" neste tempo de confusão dentro da Igreja, disse Schneider. "Nestes tempos, a fé está brilhando... de alguns modos, mais claramente, de outros, de forma mais bela nas almas dos leigos do que em grande parte das almas da hierarquia. É triste dizer".

A promoção de prelados que promovem posições contrárias à fé católica é uma recompensa temporal, disse Schneider, que não é "nada em comparação com... a eternidade".

"Minha recompensa é a boa consciência da fé, a fidelidade a Jesus e a recompensa que espero receber no Céu", disse ele. "E essas recompensas temporais, acho não têm tanto significado. E assim a melhor recompensa é ser fiel à fé, à fé. E Deus fará Seu trabalho, então seja fiel, creia e ajude mesmo aqueles que estão perdendo a fé”.

"Espero que agora o Papa Francisco seja generoso" à Fraternidade Sacerdotal São Pio X, disse Schneider, falando de um grupo católico tradicional que não tem status canônico regular na Igreja, mas que não está excomungado nem é considerado em cisma. O Papa Francisco concedeu aos sacerdotes da Fraternidade as faculdades para ouvir Confissões durante o Ano da Misericórdia, e Roma aparentemente ofereceu à Fraternidade uma prelatura pessoal dentro da Igreja.

Schneider disse esperar que uma solução "prática" e "canônica" possa ser alcançada. A plena comunhão com Roma significaria uma "boa presença de muitos sacerdotes" e indivíduos que são "substancialmente católicos e darão uma nova contribuição para fortalecer" a Igreja, disse ele.

Schneider também pesou sobre o tratamento extremamente duro que uma ordem religiosa, os Frades Franciscanos da Imaculada, recebeu de prelados que parecem se opor à sua missão, que enfatiza o patrimônio e o culto católicos.

"O desenvolvimento dos Franciscanos da Imaculada como uma verdadeira ordem tradicional na Igreja que não depende de 'Ecclesia Dei' " levou os progressistas a se sentirem ameaçados, disse Schneider. Muitas comunidades religiosas dedicadas à tradicional Missa latina estão sob os auspícios da Ecclesia Dei.

"Alguns membros liberais da hierarquia consideram as diferentes comunidades de 'Ecclesia Dei' como algum tipo de peça de museu", explicou Schneider, e não querem que suas abordagens tradicionais ganhem muito impulso.

Mas, afinal, disse ele, isso é apenas um retrocesso "temporário". "Quando esta é uma obra de Deus, ninguém pode pará-la. ... Este sofrimento deles dará frutos. Temos que ver mais adiante".

Nenhum comentário:

Postar um comentário